Mãe

A Natureza
Te encanta Vê-la cantar
Nas manhãs em que acorda,
Nas noites em que dorme o sono?

O som do vento te estremece,
quando teme ou não o porvir?
A luz do astro-luz te aquece
ou te intimida?

Em vida simples
na tua terra onde é nascida,
encontra abrigo no colo,
no braço das árvores?

Se consegue pensar
se trabalha o que sente
quando lê estas linhas abertamente
Compreende o que sinto,
Quando procurei tocar-te
com estas da arte,
em que procuro viver.

Ame...
e que com o amor
que brota da Natureza,
não se espante...
é pura claridade
como a que arde a vista
quando acorda,
mas que bem veloz
te faz ver, na manhã
o amanhã de todos nós.