A Uma Mulher!

Quando te vejo é como se um momento
Eu visse linda borboleta esvoaçar;
Fico a te olhar num embevecimento
E mesmo que eu queira, não deixo de te olhar!

Há em ti e em torno de ti tanta beleza
Como um sonho de amor em noite de luar,
E na tua fronte pura, há tanta nobreza
Que mesmo vendo custo a acreditar

Não sei se o céu tem anjo mais lindo
Do que tu, querubina feito mulher
De te adorar, o desejo meu não finda
E quanto mais te quero mais meu coração te quer

Mas tu chegastes muito tarde à minha vida!
Há entre nós um abismo tão profundo
E mesmo que sejas para mim a mais querida
Nada nos unirá neste triste e velho mundo

Entanto eu vivo o meu sonho de esperança
Que é um bem que não se perde nesta vida;
E toda vez que tu me vens a lembrança
Eu te chamo baixinho de minha querida!