A canção do Gounod

I

Quando cantas pendida
Por sobre o peito meu,
Ouves tu minha vida
Falando-te do céu?
A indolente cantiga
Desmaia de languor.
Cantai, formosa amiga!
Cantai, cantai, amor!

II

Quando ris, nesta boca
Rebenta amor a flux,
E minha'alma vai louca
Arder-se em tua luz.
Teu sorriso é quem briga
Em perfume co'a flor.
Cantai, formosa amiga!
Cantai, cantai amor!

III

Quando dormes tão pura,
Dos astros ao clarão,
Teu alento murmura
Dos beijos a canção.
Manto ou véu não te abriga
O marmóreo palor...
Cantai, formosa amiga!
Cantai! cantai amor!