Tarde demais

O som do céu é surdo.
O azul, absurdo.

Absorto,
observo a borboletra farfalhar:
o ar, o ar, o ar.

19/8/02