Canção inédita de Raul Seixas chega às lojas

Donizete Costa

“Anarkilópolis” foi descoberta por produtor musical nos arquivos da gravadora Som Livre

Os raulseixistas estão em polvorosa. Chegou às lojas, nesta semana, o CD com a primeira versão de “Cowboy Fora da Lei”, composta em 1984 pelo Maluco Beleza, mas que acabou ficando fora do LP “Metrô Linha 743”, lançado naquele ano pela Som Livre. “Não deu tempo para finalizar a gravação, principalmente por causa dos problemas pessoais que o Raul vinha enfrentando na época”, lembra Sylvio Passos, presidente do Raul Rock Club e também parceiro na canção, junto ao letrista Cláudio Roberto. Uma das dores de cabeça do roqueiro – morto em 1989 aos 44 anos e que exatamente hoje estaria completando 58 anos.

Quem ligou avisando a Sylvio que o produtor Aramis Barros encontrara a surpreendente fita nos arquivos da gravadora foi a ex-mulher de Raul, Kika Seixas.

Rebatizada como “Anarkilópolis/ Cowboy Fora-da-Lei nº 2”, ela conta a história de uma cidade imaginária dominada por malfeitores. Da “Cowboy” que ganhou as paradas em 1987, só se reconhece o refrão “Eu não sou besta/ Pra tirar onda de herói/ Sou vacinado/ Sou cowboy/ Cowboy fora-da-lei...”.

Para preencher a coletânea, batizada como “Anarkilópolis”, Sylvio escolheu 13 canções que, se não são inéditas, soam como novas para quem não companha tão de perto a carreira de Raul. É o caso de “Muita Estrela, Pouca Constelação”, gravada em 1987 com o grupo Camisa de Vênus e Marcelo Nova. Dentre outros famosos que aparecem no CD estão a “Ternurinha” Wanderléa, dividindo vocais com Raul em “Quero Mais” (1983) e até o agora ministro da Cultura, Gilberto Gil, que cuidou dos arranjos e violões de “Que Luz É Essa?”, lançada em 1977.

Serviço
Anarkinópolis – Coletânea de Raul Seixas, gravadora Som Livre. Preço: R$ 19,90 no site www.raulrockclub.com.br.