Da Sinceridade

Havia um mestre sufi, estremamente iluminado e que era extremamente misericordioso. Ele vivia isolado perto de um rio, onde pescava diariamente. Era tão misericordioso que cortava a cabeça dos peixes, fazia uma sopa com ela, da qual se alimentava e entregava o restante dos peixes para os pobres e necessitados. E vivia uma vida muito simples, na mais simples das casas, no local mais humilde.

Um dia, esse mestre se sentiu estagnado. Passaram-se alguns anos e ele pensava que não progredia, que estava perdendo tempo, que nada ocorria. Triste, pediu para um discipulo para procurar aquele que era o seu mestre, a dias de viagem. Solicito, o discipulo foi até onde morava o mestre de seu mestre.

Lá chegando na cidade, perguntou do famoso mestre. E todos apontavam para uma colina onde havia um palácio. O dervixe estranhou e foi até lá. Antes de chegar, viu uma enorme propriedade, com muitos rebanos e extensas plantações. Perguntou para um dos empregados quem era o dono e este disse que era não menos aquele a quem ele procurava e que este era o dono de tudo aquilo, e que residia no palácio ! Pasmo, o dervixe continuou até o palácio, imaginando como um alguém tão rico e poderoso poderia ser o mestre daquele homem iluminado e humilde que o orientava.

Lá chegando, viu uma enorme caravana, onde estava o dito mestre, vestido como um principe. O dervixe ficou ainda mais pasmo. Não voltou para casa, sem cumprir a tarefa, apenas pela mais sincera lealdade.

E assim o dervixe se aproximou do poderoso homem que iria orientar seu mestre. E explicou a situação. O homem pensou e disse: "Seu mestre é muito ligado as coisas materiais". O dervixe ficou revoltado ! Como ?! Seu mestre era o homem mais humilde de todos! Resolveu não contar a ele a resposta, por piedade...

Voltando, o mestre pediu ao discipulo que disse-se o que havia ouvido. E o dervixe não quis contar. Após muita insistencia, acabou por ceder. Nesse momento seu mestre se iluminou, glorificou a Allah e sentiu que tinha subido vários degraus em sua escalada.

Mas pasmo ainda, o pobre dervixe inquiriu o mestre para saber onde estava o sentido daquilo tudo. E o mestre disse: "Sabe quando dava o corpo dos peixes e ficava só com a cabeça ? Eu sempre pensei: Como seria bom se ficasse com ele inteiro !!!"

Tenhamos sinceridade em nossa ações!

(Autor desconhecido)

 

 

Voltar