Varaha Avtar

O Kalpa Pralaya tinha terminado. Era o começo de um novo Kalpa. O Senhor Bramha estava mais uma vez ocupado no trabalho de sua criação.

Bhoomidevi (a mãe terra) estava sendo lançada e assim penetrou nas profundidades do oceano. Manu (Satyavrata do prévio Kalpa) e Shatarupa (a primeira mulher) vieram ao Senhor Bramha para pedir conselhos. Bramha lhes disse que mantivessem seus corações livres da cobiça e do ciúme, e que tivessem muitos filhos para regerem sobre a terra. Manu se tornaria o primeiro governante da terra, contudo em nenhum lugar podia se achar terra, pois ela estava no fundo do oceâno. O Senhor Bramha começou a pensar. Ele poderia criar coisas mas preservar a criação não estava em seu poder, e sem terra firme, os homens não poderiam ser preservados. Ele então meditou no Senhor

Vishnu, o preservador.

Como ele estava pensando no Senhor Vishnu, um minúsculo javali, tão pequeno quanto um dedo polegar emergiu de seu nostril. Todos ficaram admirados de como o minúsculo javali cresceu tanto até ficar maior que uma montanha. Assim todos souberam que o javali não era ninguém senão o Senhor Vishnu.

Bramha e Manu ficaram perplexos quando o javali fez um ruído terrificante e pulou para dentro do céu que rasgava as nuvens. Então se virou e mergulhou no oceano. Nas profundidades do oceano o Senhor Vishnu (o javali) achou a mãe terra (Prithvi ou Bhoomidevi). O javali ergueu a mãe terra em seu focinho e saltou até sair do oceano.

Hiranyaksha era um demônio terrível (Rakshasa). Todos o devtas estavam se escondendo por causa do temor a ele. Ele estava a procura de uma briga. Ele se aproximou de Varuna (o senhor das águas) e exigiu uma batalha. Varuna bem sabia que o demônio era muito mais forte. Ele contou para Hiranyaksha que tinha ficado velho e tinha deixado de lutar. Ele sugeriu que o Rakshasa fosse enfrentar o Senhor Vishnu.

Narada é um sábio que podia viajar livremente na terra, no Swarga (céu) e no Patala (inferno). Hiranyaksha perguntou para Narada onde ele poderia achar Senhor Vishnu. Narada o dirigiu para o oceâno. Faminto para uma briga o demônio não desperdiçou nenhum tempo e foi diretamente para o oceâno onde ele achou o javali (o Senhor Vishnu) emergindo para fora do mar. Hiranyaksha desafiou o javali para deixar a mãe terra (Bhoomidevi) e brigar. O javali o ignorou. Ele escarneceu então que o Senhor Vishnu tinha ganho todas as suas guerras usando o seu Maya (magia) e assim, sem nenhum valor. O javali tinha um trabalho a realizar (o de trazer a terra para foro do oceâno), e assim não prestou nenhuma atenção ao demônio. O demônio ficou irritado e falou para o javali que deveria estar envergonhado por não estar em frente de um lutador.

O javali, tinha então terminado seu trabalho, colocou a mãe terra (Bhoomidevi) firme segura sobre as águas e a abençoou. O javali se virou então e enfrentou Hiranyaksha. Eles começaram lutando com maças. A luta era feroz e foi se levando até o crepúsculo. Naquele momento o Senhor Bramha ficou preocupado e disse para o Senhor Vishnu que matasse o demônio antes que ficasse escuro, porque a noite e a escuridão aumentavam a força dos demônios substancialmente.

Hiranyaksha lançou sua maça sobre o javali mas o javali a pegou como se fosse um brinquedo. Eles começaram a lutar com os punhos e coices. Finalmente o javali atingiu o demônio no templo com seu coice e o demônio foi morto imediatamente.

Assim o Senhor Vishnu tinha se encarnado na terra no terceiro tempo

como um javali para salvar os devtas do demônio Hiranyaksha e tirar a mãe terra do fundo do oceano. A mãeTerra deu abrigo a Manu e Shatrupa. Eles tiveram vários filhos virtuosas. Nós também somos as crianças da raça que eles começaram. Isto é por que nós somos chamados 'Manav' ou as crianças de Manu.

Contadores da história: Kamal Sahgal, Rakesh Atreya, Sigrid

Sahgal.

 

 

Voltar